Zé Pretinho

Jorge
Ben Jor

Jorge Ben Jor fez um dos shows mais impressionantes da 12ª edição do Festival de Inverno de Pedro II.
Jorge Ben Jor – Show
Exagerado

Frejat

Arrepiando do começo ao fim, o roqueiro passeou por seus maiores sucessos românticos.
Frejat – Show
Inesquecível

Ana
Carolina

O show mais aguardado dos últimos 12 anos foi também um dos melhores espetáculos já vistos no Festival de Inverno.
Ana Carolina – Show
Blueseira

J. J.
Jackson

Carisma é a palavra que define o músico J. J. Jackson, americano radicado no Brasil.
J. J. Jackson – Show
Empolgação

Cojobas

Para esticar a festa até mais tarde, a banda Cojobas subiu ao palco no Cruviana Pop, trazendo o melhor do rock.
Cojobas – Show
O Festival

Criado em 2004, o festival de inverno de Pedro II, ano após ano, vem ganhando luz no cenário musical e prestígio entre o público que, como o evento, também aumenta a cada edição. Pelo seu palco já passaram músicos famosos como: Hermeto Pascoal, Dominguinhos, Oswaldinho do Acordeon, Renato Borghetti, Ithamara Koorax, Leo Gandelman, Yamandú Costa, Hamilton de Holanda, JJ Jackson, Derico e Sindicato do Jazz, Arthur Maia, Wagner Tiso, Victor Biglione, Hugo Pilger, Graça Cunha, Danilo Caymmi, Rosa Maria Collin, Kenny Brown, Leila Pinheiro, Ivan Lins, João Bosco, Marina de La Riva Stanley Jordan, Maria Rita, Fernanda Takai, Zeca Balheiro e muitos outros artistas de peso que também mostraram seus talentos em solo Piauiense.

Quem já dedilhou em Pedro II

A cidade de Pedro II, a 200 km de Teresina, é chamada de “a Suíça piauiense”. Originalmente, esse título veio do seu clima serrano. Hoje, pode-se dizer que o município tem outros atrativos que justificam a comparação: a exploração sustentável do seu enorme potencial turístico, a lapidação e produção de jóias de opalas e o seu badalado Festival de Inverno, entre outras atrações.

Com um clima agradável, o município oferece muitas emoções tanto para quem gosta de descanso, como para quem procura aventura. Plantada no meio de montanhas, o cenário pedro-segundense conta com cachoeiras, minas de opala, um rico artesanato em tecelagem e opala, e o seu casario colonial, herança da colonização portuguesa que confere à cidade um charme a mais. Porém, não é só isso, a simpatia da sua gente também está entre os seus maiores patrimônio e encanta todos que a visitam.